Fermentos: Tipos e substituições

Qual o tipo de fermento mais indicado para cada receita? E como substituir os fermentos? Aprenda aqui essas e outras dicas sobre fermentos e substituições!

 

Fermento em Pó Químico

O fermento químico pode ser considerado o tipo de fermento mais comum do mercado. Ele é basicamente um pó branco feito à base de bicarbonato que reage com o calor em torno de 50 a 60 graus Celsius.

É mais indicado para receitas como bolos e biscoitos e pouco indicado para pães, embora algumas receitas possam incluir esse fermento para tornar o pão mais suave e leve. É importante manter esse fermento em um local fresco, arejado e em temperatura ambiente, longe de fornos ou geladeiras.

 

Fermento Biológico

A base desse fermento são microrganismos vivos, que servem para multiplicar a receita quando entram em contato com o calor. É o famoso fermento para pão, também utilizado em massas de pizza, e pode ser encontrado no mercado em dois subtipos.

O tipo biológico fresco, também conhecido como fermento de padaria, possui uma baixa durabilidade e normalmente é vendido em pequenos tabletes (15 ou 500g). Ele apresenta uma alta taxa de umidade e por isso deve ser mantido na geladeira sempre. Dura por cerca de 15 dias em refrigeração.

Já o tipo biológico seco é encontrado em pacotes maiores (50 ou 100g) e pode ser mantido fora da geladeira, em temperatura ambiente. Por isso, possui um prazo de validade maior, durante até cerca de 6 meses.

 

Fermento Natural

O fermento natural é conhecido como fermento caseiro, feito em casa a partir de microrganismos. A preparação do fermento pode levar cerca de uma semana até 10 dias, devendo ser constantemente alimentado para não morrer. Devido a essas características, esse fermento é normalmente utilizado por pessoas ou padarias que usam muito fermento em suas receitas.

 

Substituições

O ideal é sempre utilizar o fermento indicado pela receita e na quantidade necessária, evitando prejudicar o crescimento do bolo, pão ou biscoito. O uso de um fermento errado ou na quantidade inadequada pode afetar o desenvolvimento da receita e comprometer o resultado final. Por exemplo, pães necessitam de fermento biológico normalmente, enquanto bolos saem melhor com o fermento químico.

Mesmo assim, algumas substituições podem ser feitas sem causar grandes alterações estruturais no preparo, mas sempre com muito cuidado e atenção.

O fermento biológico seco e o fresco podem ser substituídos, sempre considerando que o fermento seco é o fermento mais forte e potente (cerca de 3 vezes mais). Ou seja, se a receita precisa de fermento fresco, é possível utilizar o seco em 1/3 da quantidade indicada. A conversão sempre será de 1 para 3.

Já o fermento químico em pó só pode ser substituído pelo bicarbonato de sódio. Porém, essa troca só pode ocorrer quando a receita possui ingredientes que vão reagir com o bicarbonato, como ingredientes ácidos (cacau, buttermilk, iogurte, etc).

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*